5 de abr de 2008

UNIVERSO PARALELO




Universo Paralelo


A calmaria


de um vulcão em erupção!

2 comentários:

Anônimo disse...

- ARMADILHA -

Segui teus olhos em silêncio.
Teus passos pelo aposento.
Sentiu a minha perseguição.
Criei tua armadilha e
para ela caminhas
sem notar a própria perdição.

Conheço teus desejos íntimos,
cada edifício e abismo
para erguer ou atravessar.
Tua alma refletida em mim.
Teu sorriso é assim:
esperançoso como teu olhar

Notas em mim algo novo...
Um brilho em meu rosto
repleto de magia.
Meu sorriso vibra diferente.
As palavras vêm facilmente
carregadas de ironia

Não tenhas medo, a corda bamba
em que quero ver a dança
tem rede de proteção.
O circo está armado,
o espetáculo montado,
que os artistas entrem em ação

Somos livres, somos fortes!
Temos ao nosso lado a sorte!
Vamos representar!
Quero ver-te sorrindo no palco,
fingindo que não tem me desejado
Minta ! Quero te ver atuar !

Prove seu valor para o público.
Como és teimoso, forte, lúcido!
Que realmente podes me deter.
Mas não se admire ao final do espetáculo
quando estiver descansando em meus braços,
feliz por se render...

berna disse...

A poesia é linda e muito atual, a pessoa que a fez, é conhecedor da alma humana.