25 de mai de 2008

Bee Movie e minha mãe





Acabei de assistir Bee Movie - aquele filme da DreamWorks Animation que fala das abelhinhas que processam os seres humanos por causa do mel aproriado indevidamente -, vim para a net ver os email e visitar meus vizinhos de blog, quando de repente, não mais que de repente, deparei-me com o post do Edson Marques no qual ele descreve sua odisséia para salvar sua nova amiga formiga:

"Hoje de manhã, ao abrir a torneira da pia para lavar o rosto e escovar os dentes, vi que uma formiguinha foi atingida por uma enorme gota d’água — e se afogou. Fechei imediatamente a torneira, larguei a escova, e tentei salvá-la com um pedacinho de papel dobrado. Mas ela estava imóvel, e não reagiu. Ainda assim, com muito cuidado, fiz com que se colasse ao papel e coloquei-a na borda da pia. Larguei tudo, inclinei-me e passei a soprar delicados jatos de ar quente naquele corpinho inerte. Mas ela não reagia, a coitadinha. Fiquei ali, olhando para o nada e refletindo sobre a morte... Após dezenas de tentativas, invoquei o que de mais puro vive no meu coração, e soprei novamente sobre ela o meu espírito. Ela então se mexe um pouquinho. Sopro de novo — e eis que ela anda! Ofereço-lhe o meu dedo indicador, e ela sobe por ele e dança em minhas mãos!
Você pode achar que perdi meu tempo. Você pode achar até que estou ficando louco. Você pode achar um monte de outras coisas sobre mim, mas não me importo. Porque esta certeza agora me basta: hoje de manhã salvei a vida de uma bela formiguinha."

Como eu não acredito em coincidências parei para pensar nesse assunto.

É comovente lembrar que minha mãe nos ensinou, enquanto crianças, a salvar bichinhos (mais comum eram grilos, gafanhotos) afogados os colocando sobre um punhado de farinha. Isso absorveria a água de seus corpinhos e aumentaria a possibilidade deles não morrerem.
Não sei se a técnica funciona, mas eles sempre se salvaram.
Pode-se imaginar como isso funciona na cabeça de uma criança:...

Mães são super-heroínas capazes de resolver todos os problemas do mundo.

Coincidências não existem mesmo...

Será que minha mãe sabia qual o ensinamento que ela nos passava com aquela atitude, aparentemente tão infantil!?! (Acho que sim. Afinal como super-heroínas, sabem tudo).

Hoje percebo e dou importância às pequenas atitudes, muitas vezes ignoradas pelo corre-corre diário. =)
Uma palavra, um gesto, de carinho, uma preocupação honesta por algo ou alguém, mesmo que pareça bobagem no primeiro momento, pode mudar muita coisa. Pode até nem ser hoje, mas se trouxer algum bem, valeu!!!

Tantas vezes nos perdemos em preocupações do tipo: - “o que ele(a) vai pensar de mim se eu disser ou fizer isso?”
Se seu coração pedir, faça assim mesmo. Não se preocupe!
Seja honesto com sua integridade, com você, com sua intuição e paciência se alguém não o entender. Muita coisa não é para ser entendida na hora. Algumas vezes nem por você mesmo.

O filme ainda nos mostra de nem sempre a aceitação é o melhor, o personagem não estava satisfeito com as opções que tinha, precisava ir além, assim ele sentia. Foi. Arriscou. Aconteceu.
Tá, nem tudo saiu como ele imaginava, a mudança na ordem natural das coisas gerou problemas enormes, mesmo assim ele não se acomodou.
Reconheceu onde havia errado, rearranjou, procurou e encontrou solução. Corrigiu...

E o trabalho em equipe fez toda a diferença. Se você acredita sinceramente, outros aparecerão para ajudá-lo.

Confie em você!

Importante, em minha opinião, não é sair vencedor, acertar sempre, mas não desistir! Simples assim.


Está linkado minha existência aos super poderes da minha mãe!

OBRIGADA!!!

bjkkas,

2 comentários:

NDORETTO disse...

O seu comentário me comoveu.A sua bondade comove. Sabe que ontem quando eu dei um kilo de arroz fechado pra um menino faqminto NÃO MEXEU TANTO COMIGO quando salvei o dentinho! Bicho,inseto, eu amooooooooo!!!!! Valeu,Mirian, vc é grande! Mariana que o diga!

Anônimo disse...

Lindo,

pelo visto sua mãe ganhou em excelência!!!!
Sou sua fã!!!

Lana