28 de jul de 2008




Estamos todos no caminho.
Atados à eternidade.
Sem opção de deixar de existir.
Irremediavelmente presos ao que somos.
Só nos resta aprendermos a viver bem para termos o
apogeu no fim do dia
e dançarmos os mistérios das mil noites.

Você caminha comigo neste livro (blog) como paralela
que resolve se tocar descobrindo que somos
nossos próprios espelhos,
um do outro, do jeito de ser individual.
E o que seria de mim sem você?
Talvez uma bela luz sem saber brilhar
ou uma profunda escuridão na total ignorância,
mas quando tocamos, eis o contraste.
Eu sou luz escurecida
e você, escuridão iluminada.

Assim nos sabemos, nos vemos, e nasce a lucidez.
Eu sou porque estás em minha frente e
você se vê porque eu te reflito.
Então se ficas comigo se sentirá mais real
e eu mais eu mesmo.

Não somos amigos, mas, pedaços invertidos
da mesma grandiosidade.
Expressões da mesma verdade.
Caminhos da mesma espiritualidade.

Quando eu lhe sinto eu me contrasto e sou real,
como o espírito do dinheiro que só o é porque nós o fazemos,
nós pomos o espírito do valor naquele pedaço de papel.

Assim ardemos lado a lado pelas páginas desse livro (blog),
se descobrindo no jogo mágico das coisas com ou sem drama,
sempre prontos a trocar figurinhas.


No lança-chamas das descobertas das humanidades,
sentir a diferença entre verdade e realidade
só passando pelo crivo das vivências.

Olhar sem clemência ao que a vida nos reserva,
rapidamente, pois não temos tempo a perder.
(...)
Tudo sempre me parece sem fim...


(Emprestado de Luiz Antonio Gasparetto em “Para viver sem sofrer”)

2 comentários:

M.Babinsk disse...

SIMPLESMENTE LINDO!!!!ADORO SEU BLOG, ELE É TÃO AQUILO QUE VOCÊ É!!!BEIJOSSSSSS MARCINHA!!!

NDoretto disse...

Que texto completo,Mírian! Que isto que é a vida, minha amiga : A vida, isto, instantes em que nos completamos diariamente, sucessivamente!

Beijos!