16 de ago de 2008

Martha Medeiros






(...) "Está certo que surgem umas ruguinhas, umas mechas brancas e a barriga salienta-se, mas é um preço justo para o que se ganha em troca.

Pense bem: depois dos 30, você paga do próprio bolso o que come e o que veste.

Vira-se no inglês, no francês, no italiano e no iídiche, e ai de quem rir do seu sotaque.

Não tenta mais o suicídio quando um amor não dá certo, enjoou do cheiro da maconha, apaixonou-se por literatura, trocou sua mochila por uma Samsonite e não precisa da autorização de ninguém para assistir ao canal da Playboy.

Talvez não tenha se tornado o bam-bam-bam que sonhou um dia, mas reconhece o rosto que vê no espelho, sabe de quem se trata e simpatiza com o cara.

A maturidade, sim, permite uma certa loucura.

Depois dos 35, conforme descobriram os participantes daquele congresso curioso, estamos mais aptos a dizer que infelicidade não existe, o que existe são momentos infelizes.

Sai bem mais em conta." (...)


Martha Medeiros

3 comentários:

NDoretto disse...

Aeeeeeeee, é a nossa cara!!

BJs

ND

NDoretto disse...

Aeeeeeeee, é a nossa cara!!

BJs

ND

...uma mulher... disse...

pois é querida,

e salve os anos bem vividos!!!!!

bjkks