5 de dez de 2009

Namorar é preciso





Namorar é preciso


Namorar é preciso - com todo mundo, o tempo todo, sempre. Esse namoro de que estou falando não tem nenhuma conotação sexual; é uma coisa leve, um charme suave, que deveria existir entre todas as pessoas em todos os momentos do dia. Namorai-vos uns aos outros deveria ser um lema de vida, o que não tem nada a ver com o amai-vos, que é muito complicado.

Quando entrar num botequim para comprar cigarros, no lugar de dizer, com a cara amarrada, "um maço de cigarros", pode começar já com um sorriso perguntando "será que eu vou ter a alegria de pagar pelo cigarro o mesmo preço que paguei ontem?". É uma bobagem, mas não tenha dúvidas de que vai receber uma resposta à altura -e também um sorriso; nada mal, hein? Uma amiga me contou que um dia, no aeroporto de Roma, pediu uma água mineral e, quando perguntou quanto era, o garçom respondeu, olhando para ela bem dentro dos olhos: "Para você, 400 liras". Tudo bem, ela tinha marido, filhos, estava embarcando de volta para casa e não tinha a mais leve intenção de jogar tudo para o alto e viver um romance de amor, mas que gostou, ah, isso gostou -e nunca esqueceu.

A feira é um lugar onde esse charme existe naturalmente o tempo todo. "Freguesinha bonita, prove um pedacinho do abacaxi doce como mel, não existe nenhum igual ao meu." Não dá para resistir e você, que mora sozinha, compra logo seis. Esse namoro, ou charme, ou flirt, não tem nada a ver com beleza, idade, posição social. É o prazer de ter prazer pelo prazer, e os que são imunes a isso não sabem o que perdem.

Namoram-se crianças de berço, gatos, cachorros, o macaco do jardim zoológico, e, quando se começa, sempre há um retorno: faça a experiência e depois me diga.

Quando você diz a sua empregada "Sebastiana, estou com vontade de comer aquele franguinho assado que só você sabe fazer, com a pelinha crocante; e em meia hora, ou eu desmaio", alguma dúvida de que em 25 minutos ele vai estar pronto e acompanhado da pergunta, também entre sorrisos, "será que ficou como a senhora gosta?".

Reservar passagem na véspera de um feriado prolongado é praticamente impossível, mas quando você recebe um não daqueles definitivos, use seu charme; pergunte ao funcionário como ele se chama e diga: "Paulo, você não vai fazer isso comigo; meu namorado está me esperando e você, que deve ter uma namorada, sabe que avião lotado não foi feito para gente apaixonada. Pelo menos me ponha em lista de espera e jure que vai fazer o impossível para me botar no vôo". Falando assim, já conta com 80% de probabilidades de embarcar.

Então vamos começar; hoje você vai namorar todo mundo, começando pelo porteiro e chegando até o flanelinha -é, até o flanelinha. Se na hora de pegar o carro, cheia de sacolas, você, desesperada, não puder nem pensar em procurar a carteira no fundo da bolsa para pegar aquele troco que, no fundo, não tem nenhuma obrigação de dar, abra um sorriso e diga: "Querido, estou sem trocado; não fique zangado, mas vai ficar para a próxima -desculpe, tá?". Garanto que ele vai dizer um "tudo bem, madame" bem legal e até sorrir (pode também te dar um tiro, mas isso faz parte).

É uma maneira de viver que deve ser exercitada e que pode trazer resultados inesperados. Como as pessoas vão gostar mais de você, de repente dá até para reformular o que foi dito lá em cima, com ar de grande verdade: "Namorar, sempre, e sem nenhuma conotação sexual"." Porque, com conotação, fica melhor ainda.

(Danuza Leão)








"...Com conotação fica melhor ainda...", gostei disso...

hummmm....

alguém se candidata??? (rsrsrsr)

Bjkks



Um comentário:

NDORETTO disse...

E viva a saúde do coração! Precisa namorar, menina.

rsrsr
bjs